Trabalhos

Khthon

P

Direção e Dramaturgia: Thiago Abel

P

Khthon é um programa performático onde os dançarinos que participam do "Laboratório de Criação de Solo" investigam aquilo que foi definido pelos gregos como "CTÔNICO", isto é, um saber que apresenta a terra enquanto útero-túmulo, expondo o ciclo constante entre vida e morte anunciado pela Natureza e pele Cosmos. O trabalho tem como objetivo anunciar as problemáticas de uma sociedade que atualmente foca apenas no saber uraniano, apolínio e progressista, ignorando ou buscando recalcar as forças dionisíacas e trágicas anunciadas pela terra e pelo caos.
Ao propor aos dançarinos procedimentos de criação que os colocam em contato com tais questões por quinze dias consecutivos, os processos gerados são afinados em tecidos em uma dramaturgia que compõem a performance, sendo esta diferente a cada remontagem por ter como base fundamental o material ebulido por cada artista participante.

Direção e Dramaturgia: Thiago Abel

Preparação Corporal: Juliana Pedroso

Elenco: Igor Costa, Juliana Pedroso, Nubia Abe, Padu Cecconello, Sofia Scharff, Thiago Abel

Provocação: Mônica Cristina Bernardes e Rodrigo Putarov

Arte Gráfica: Núbia Abe

Figurino: Padu Cecconello

Iluminação: Juliana Morimoto e Mônica Cristina Bernardes

Sonoplastia: Stefanie Egedy

Sinopse: Inspirados em “Kaze Daruma”, último discurso de Tatsumi Hijikata – fundador do Ankoku Butō –, seis corpos exploram as principais matrizes poéticas presentes neste texto manifesto: a lama, o contágio, a memória da carne, os mortos e a morte. Atenta-se para o que nelas há de comum: a terra, útero-túmulo que devora os corpos, tornando-se reservatório de suas memórias para depois dispô-las como nutrientes que gerarão outros corpos. Memórias nunca perdidas, mas em constante processo de transmutação de elementos, que ora se combinam e adensam, ora se diluem e silenciam, mas nunca desaparecem. 

A pesquisa investigou as paisagens e proposições éticas do texto, de onde emergiram sensações, ações e seres que se estruturaram e se provocaram mutuamente: o encontro destas forças e seus percursos no corpo resultam no presente trabalho que oscila entre a metamorfose constante e a vontade de existir enquanto carne.

ATÉ A LEMBRANÇA DO CACHORRO DO VIZINHO AINDA VIVE NO MEU CORPO
Apresentação dos Anhangás, no Cemitério da Consolação - São Paulo
Apresentação dos Anhangás, no Cemitério da Consolação - São Paulo
Apresentação dos Anhangás, no Cemitério da Consolação - São Paulo
ANHANGÁS

P

Coordenação: Thiago Abel

(Des)Orientação Filosófica: Bruno Maschio

P

“Anhangá”, em cosmologias indígenas, quer dizer sombra, alma errante, espírito que vagueia. Designava também os mortos de tempos muito antigos onde não haviam diferenças entre homens e animais. Protetores da terra, não possuem uma forma, mas são capazes de se metamorfosear em todos os corpos: humanos, animais, plantas, minerais, fenômenos da natureza. Nesta performance, objetiva-se presentificar nos corpos dos dançarinos a qualidade da terra enquanto útero-túmulo, fluxo constante entre vida e morte, para escancarar que é impossível restringir a morte ao espaço do cemitério, pois nem a vida – nem a terra – são separáveis das inúmeras mortes que as constituem. 
“Quando você anda, tenha cuidado. Você pode estar andando sobre os mortos”. O dizer de Ôno nos atenta para a distinção entre terra e cidade: território que nega e marginaliza a morte, delimitando-a aos muros dos cemitérios e crematórios. Enquanto, na relação homem-terra os mortos se fazem presentes o tempo todo, ao andarmos no asfalto da cidade, não nos relacionamos, ou melhor, fingimos não nos relacionar com tudo aquilo que morreu para que a vida fosse possível. A performance propõe uma dança com a potência de fazer emergir os ossos, romper o chão da cidade, para que eles dancem e celebrem a vida enfim destituída destas limitações e barreiras impostas na modernidade.
A lama, presente na poética de Hijikata, surge nos corpos dos dançarinos para retomar o pensamento de que morrer é nascer diferente do que se é, tudo se encontra nela. O que o Ankoku Butô (Dança das Trevas) anuncia é um pensamento de pertencer à terra, presente também na cosmologia ameríndia. Portanto, o Butô transpassa estados-nacionais – com suas identidades e culturas – e os diversos tempos da história.

MARGINAIS (TRANS)TEMPORAIS

(Des)Orientação: Thiago Abel

Sinopse: Uma das dimensões Ankoku Butô – projeto ético-estético criado por Tatsumi Hijikata, em parceria com Kazuo Ôno, nos anos 50 no Japão – é a afirmação de uma ‘beleza da crueldade’ (zankokubi), onde se (re)apresenta, coloca-se em cena, aquilo que para sociedade é insuportável. Aquilo que é proibido e marginalizado para que a sociedade possa existir é tratado, no Ankoku Butô, em sua beleza e subversão. Hijikata busca essa potência transgressiva nos marginais: loucos, homossexuais, criminosos, crianças, velhos, deficientes.

Éden Peretta, em O Soldado Nu, desenvolve a noção de Marginais TransTemporais, uma vez que estes personagens não dizem respeito somente aos seres marginalizados no Japão pós-guerra, “mas que figuram, reincidentemente, à margem em quase todos os tempos e sociedades”. A Transtemporalidade dos marginais é encarnada por Tatsumi Hijikata ao se debruçar nas obras literárias dos poetas malditos, como, por exemplo, Lautréamont, Genet e Sade; colocando-os em confluência com suas próprias marginalidades.

O Núcleo Experimental de Butô propõe a realização do Happening Marginais TransTemporais, onde os performers encarnam a beleza da crueldade, os corpos são atravessados pelos malditos e suas literaturas, pela marginalidade da dança de Tatsumi Hijikata, pelos marginais que povoam a cidade de São Paulo hoje e pela marginalidade experienciada por cada corpo.

PRIMEIROS EXPERIMENTOS

(Des)Orientação: Thiago Abel

Saxofone: Alan Paes

Processo de improvisação inspirado em um momento particular e esquecido da história do butô: Durante os anos 70, dançarinos de butô e músicos de free-jazz uniam-se em prédios abandonados e apresentavam-se livremente, entre poetas aos berros, artistas visuais buscando inspiração e alguns poucos curiosos que formavam o público.

Histórico de Apresentações

2019

26/10, 29/10, 16/11, 23/11 - Dois Dois (Zona Laboratorial)

Espaço Blum,

20/10/2019 - Marginais TransTemporais

Metrô Barra Funda

13 e 14/07/2019 - Khthon (Zona Laboratorial)

Espaço Blum,

 

23/06/2019 - Marginais TransTemporais

Metrô Hospital São Paulo

25/05/2019 - Dança Terrorismo (Trincheira)

Metrô Santa Cruz

16/05/2019 - Como Criar Para Si Uma Foda Sem Órgãos

Festival Praga da Dança (do Coletivo Desvelo)


27/04/2019 - Dança Terrorismo (Flâneur)

Metrô Chácara Klabin

13/04/2019 - Dança Terrorismo (Crianças Selvagens)

Metrô Adolfo Pinheiro

06/04/2019 - Dança Terrorismo (Evangelho Segundo Ohno)

Largo Treze

23/03/2019 - Marginais TransTemporais

Metrô Santo Amaro

17/03/2019 - Dança Terrorismo (Imolação)

Metrô Vila das Belezas

16/03/2019 - Dança Terrorismo (Rito Fúnebre)

Metrô Giovanni Gronchi

24/02/2019 - Dança Terrorismo (Dança Pagã)

Metrô Campo Limpo

09/02/2019 - Marginais TransTemporais

Metrô Capão Redondo

08/02/2019 - Marginais TransTemporais no Rio de Janeiro

Cinelândia

2018

01 e 02/12/2018 - Khthon (Zona Laboratorial)

C.C. Vila Guilherme

30/11/2018 - Khthon (Zona Laboratorial)

Coletivo Digital

29/11/2018 - Khthon (Zona Laboratorial)

PUC-SP

24/11/2018 - Como Criar Para Si Uma Foda Sem Órgãos

Usina Cultural - Londrina - PR

17/08/2018 - Marginais TransTemporais em Campinas

Sex - 18:00 - UNICAMP - Campinas - SP

04/08/2018 - Marginais TransTemporais em São Paulo

Sáb - 16:00 - Prefeitura de São Paulo - SP

23/06 | 19h | Até A Lembrança do Cachorro do Vizinho Ainda Vive No Meu Corpo

Complexo Fepasa - Av. União dos Ferroviários, 1760. Centro - Jundiaí - SP

22/06 | 20h | Até A Lembrança do Cachorro do Vizinho Ainda Vive No Meu Corpo

Centro Cultural da Penha - Largo do Rosário, 20. Penha - São Paulo - SP


16/06 | 18h | Até A Lembrança do Cachorro do Vizinho Ainda Vive No Meu Corpo

15/06 | 20h | Até A Lembrança do Cachorro do Vizinho Ainda Vive No Meu Corpo

Oficina Cultural Oswald De Andrade - Rua Três Rios, 363. Bom Retiro - São Paulo - SP

08/06 | 16h | Até A Lembrança do Cachorro do Vizinho Ainda Vive No Meu Corpo

Escola Livre de Teatro - Praça Rui Barbosa, 12. Santa Teresinha - Santo André - SP

02/06 | 19h | Até A Lembrança do Cachorro do Vizinho Ainda Vive No Meu Corpo

01/06 | 19h | Até A Lembrança do Cachorro do Vizinho Ainda Vive No Meu Corpo
30/05 | 19h | Até A Lembrança do Cachorro do Vizinho Ainda Vive No Meu Corpo

Centro de Referência da Dança da Cidade de São Paulo - Galeria Formosa - Baixos do Viaduto do Chá, s/n. Centro - São Paulo - SP

27/04/2018 - Marginais TransTemporais Especial Testo Junkie:  Lançamento de Paul B. Preciado (a convite da N-1 Edições) 

Sex - 21:30 - Al Janiah. R. Rui Barbosa, 269 - Bela Vista - SP

13/04/2018 - Marginais TransTemporais em Londrina

Sex - 19:00 - Calçadão de Londrina - Londrina - PR

10/03/2018 - JAM: Tatsumi Hijikata 90 Anos (de vida)

Sáb - 16:00 - Praça Roosevelt - São Paulo - SP

21/01/2018 - JAM: Tatsumi Hijikata 32 Anos (de morte)

Dom - 16:00 - Praça Coronel Fernando Prestes - São Paulo - SP 

10/01/2018 - Marginais TransTemporais em Fortaleza

Qua - 19:00 - IFCE Instituto Federal do Ceará - Fortaleza - SP

2017

07/12/2017 - Anhangás em frente ao Conjunto Nacional

Qui - 15:30 - Avenida Paulista, 2073 - SP

25/11/2017 - Barakei! - Marginais TransTemporais em homenagem aos 47 anos da morte de Yukio Mishima

Sáb - 15:00 - Largo da Batata - SP

28/10/2017 - Anhangás em Tiradentes

Sáb - 11:30 - Cemitério da Igreja Matriz de Santo Antônio - Tiradentes - MG

16/09/2017 - Marginais TransTemporais na Praça da Sé (Happening)

Sáb - 15:00 - Praça da Sé - SP

01/07/2017 - Marginais TransTemporais no Minhocão (Happening)
Sáb - 15:00 - Elevado Joao Gourlat/ Minhocão - SP

23/06/2017 - Anhangás na PUC-SP 
Sex - 15:00 - Pátio Da Cruz - SP

11/05/2017 - Marginais TransTemporais na PUC-SP
Qui - 13:30 - PUC - SP

29/04/2017 - Anhangás - Abertura de Processo 
Sáb - 17:00 - Cemitério Da Consolação - SP

08/04/2017 - Marginais TransTemporais no Metrô Tiradentes (Performance)
Sáb - 16:00 - Praça Coronel Fernando Prestes - SP 

2016

17/12/2016 - Marginais TransTemporais na Av. Paulista
Sáb - 16:00 - Parque do Trianon - SP

26/11/2016 - Marginais TransTemporais na 13ª Semana das Artes do Corpo PUC 
Seg - 19:00 - PUC-SP

31/07/2016 - Marginais TransTemporais no Minhocão
Dom - 16:00 - Elevado João Goulart /  Minhocão - SP

2015

23/09/2015 - Primeiros Experimentos - Mostra Experimentos 2015 do TUSP

Qua - 20:00 - TUSP - Teatro da USP - SP

09/06/2015 - Primeiros Experimentos - UNICAMP

Ter - 20:00 - Teatro de Arena da UNICAMP - Campinas - SP

© 2019 por Thiago Abel

© 2018 por Thiago Abel e Caio Picarelli

© 2017 por Thiago Abel e Bruno Maschio