Benção: nuvem de poeira d´água

Atualizado: 29 de abr.



Peito que abre e escorre pelas palmas das mãos. Impulso do chão que espirala para o céu. Remexe o que está dentro e fora. Espiral que condensa e joga para fora. Alimento que brota da terra. Nascente de água que sobre do fundo da terra e escorre para cima. Corpo coluna de gotas de água.

Circundando

Girando

Arredondando

Pulso que brota e faz girar.


Peito que alimenta.

ATO 1

Não recomeça, se verte em água salgada. Verter-se em mãe Iemanjá. Fundo, denso, O peito de Iemanjá que rompe o rio.

Mão de todas as mães, que afaga e que afoga

Graça da terra

ATO 2

O peito que alimenta, peito que se abre. Dar de comer.

Graça do ar

ATO 3

Onda do mar, espiralar.

Virar o próprio mar





21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Não basta aquecer durante a cena dos Ossos - Faz-se urgente uma CENA ZERO que traga recursos de escuta e (auto)cuidado entre dançarines. O que nos nutre sem ser a estrutura dramatúrgica? Onde estão no

Vontade de enviar um artigo não respeitando muito as questões acadêmicas, mas escrito pelos 5 dançarinos com subtítulos como: - Apanhar em praça pública de uma criança e sua mãe bolsonarista - Um poli