Amaldiçoando Tiradentes



Ensaio de domingo (05/06) na praça em frente à estação de metrô Tirandentes.


A maldição é ato coletivo.

ódio individualizado é ineficaz,

Ódio compartilhado e coletivo é ato político.

Os encantes precisam se perceber como seres aliados, como munição e armamento de seus semelhantes, como cúmplices, testemunhas e camaradas de guerra. Isso se dá pelo jogo.

A orgia das feiticeiras gera esses encantes que já nascem com senso de alteridade, amaldiçoam juntos numa grande decida até a cidade, para atordoar, enlouquecer, vertiginar, mirrar, adoentar, roubar a todes. Fazem juntes.


A primeira parte da maldição é o rompimento do cordão que gera a suástica profana dos encantes.

A segunda parte da maldição é o desfile de pragas que atacam o entorno.

A terceira parte da maldição é o jogo de duplas, trios, quartetos e solos que se deixam contaminar para assolar a terra.

A quarta parte da maldição é o batalhão em círculo que extermina o restante de tudo até a suspensão glorificada.


A glória é reconhecimento CONJUNTO da Vitória.

Após a glória, a festa.

A festa é comemoração CONJUNTA pela Vitória.

Após a festa, a benção.

A benção é conclusão CONJUNTA do universo (além do objetivo atingido de cada).


-----------------------------

Questões de saúde:

Cada cadela que lamba sua caceta.

testar máscaras por baixo do figurino.


-----------------------------

Questões pessoais:

Coreografização precoce - ato de coreografar as primeiras poéticas surgidas dentro de um curto espaço de improviso, limitando a vazão de novos estímulos.

Ponto positivo - capacidade de criar estrutura coreográfica consistente e interligar o ponto de partida com o ponto final.

Ponto negativo - falta de experimentação, negligência do jogo da carne.

Tenho medo de esquecer tudo o que fiz, mas a pergunta é "quem esquece?" "quem queremos que esqueça?", pois a razão, sim, esta esquecerá, mas será mesmo que o corpo esquecerá. Esquecer faz parte. Não saber o que virá a seguir faz parte e se deixar levar pela carne faz parte.


O free jazz parece não ornar muito com a benção. Dead Man can Dance parece fazer mais sentido. Abaixo, links de referência.

https://www.youtube.com/watch?v=52xJnC86CbQ

https://www.youtube.com/watch?v=QuMqDF0PFZA

https://www.youtube.com/watch?v=ay2KkC9gM2U

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo