A musicalidade da dança ou sobre como encontrar a sonoridade correspondente ao movimento.

Atualizado: 24 de jun.


Como recém chegado em um processo criativo já em andamento, sinto a necessidade de discorrer sobre os desafios de trazer para a esfera musical os anseios dos demais artistas envolvidos no que se refere a todo um imaginário já solidificado até aquele momento.

De que forma a paisagem sonora corresponde imagéticamente à locação ficcional de cada cena, além de pontuar transições sem deixar de lado a atmosfera e o temperamento prosposto pela ação em curso?

Às vezes terra, às vezes água, entidades que viram sereias e depois monstros. Combater, seduzir, amaldiçoar, inseminar e abençoar. Tudo isso no embalo de corpos carregados de eloquência a cada movimento.

Nesse contexto, e na companhia da bateria, que minha guitarra pôs-se também a dançar. Ora despindo-se, ora fantasiada, e, lançando mão de todo seu potêncial timbrístico ao desenhar contornos harmônicos exóticos, ela literalmente entrou em cena e aos poucos, a cada ensaio, foi sentindo-se verdadeiramente parte daquilo que ali, e aqui, e acolá, estava e está sendo construído.

21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Não basta aquecer durante a cena dos Ossos - Faz-se urgente uma CENA ZERO que traga recursos de escuta e (auto)cuidado entre dançarines. O que nos nutre sem ser a estrutura dramatúrgica? Onde estão no

Vontade de enviar um artigo não respeitando muito as questões acadêmicas, mas escrito pelos 5 dançarinos com subtítulos como: - Apanhar em praça pública de uma criança e sua mãe bolsonarista - Um poli

Bruna Ribeiro: O trabalho me reverberou bastante.Achei interessantíssimo e super agradável ver um butô trabalhado de forma tão fluída, simples e potente. É político, é belo, é caótico… com uma plastic