De-Formação

Oficinas & Palestras

Por que "de-formação"?

O trabalho desenvolvido pelo Núcleo Experimental de Butô não busca a produção de uma corporeidade específica, com gestos e movimentos já determinados previamente e que devem, portanto, ser alcançados. Os exercícios e técnicas trabalhados se dão a partir das matrizes (po)éticas de Tatsumi Hijikata e Kazuo Ôno, em especial a partir da concepção do Corpo Morto enquanto procedimento de criação privilegiado. Tanto Hijikata como Ôno compartilhavam da crítica aos automatismos do corpo-social, o protagonismo da razão, o self-egóico demasiado humano dos sujeitos e as barreiras rígidas que separam o corpo do universo. Todas essas imposições que pesam sobre os corpos são formatações sociais e é lançando-se em guerra contra elas que o Butô se coloca, travando uma batalha contra as formatações e ousando uma deformação das formas desse corpo social. O Corpo Morto se coloca, nesse sentido, como meio sem fim pelo qual esse corpo social é sacrificado, é morto, para que possa se escavar no corpo possíveis para além do sujeito racional, demasiado humano, ensimesmado e apartado das demais forças cósmicas. Portanto, é impossível trabalhar com a noção da formação de dançarinos de butô, não buscamos formar corpos, mas sim deformar aquilo que é cotidianamente formatada, para que as fronteiras entre o corpo e o mundo se borrem, e o corpo possa ser dançado pelas forças do universo.

Oficina: Introdução às (po)éticas corpóreas de Tatsumi Hijikata e Kazuo Ôno

A oficina propõe seis encontros teórico-práticos acerca dos processos de criação artística e concepções de corpo investigadas pelo fundador do Ankoku Butō, Tatsumi Hijikata, e seu principal colaborador, Kazuo Ôno. 


Constituída por leitura prévia de referencial bibliográfico, palestra, práticas de dança e performance, a oficina apresenta as principais matrizes poéticas da dança butô: a morte, o útero, os olhos revoltos, os marginais (trans)temporais, o corpo morto, o inseto, a dança sacrificial e o corpo debilitado são algumas das poéticas e dos procedimentos de criações investigados neste trabalho. 

Além disso, oferece material consistente para maior conscientização do cenário sociopolítico e artístico desta manifestação vítima de equívocos em sua seara pelo mundo, contextualizando o participante por meio da parte teórica acerca dos primeiros movimentos do butô no Brasil e de sua singularidade ao propor uma nova epistemologia de dança alicerçada não em matrizes visuais, mas em matrizes (po)éticas.

Esta oficina, realizada inúmeras vezes na cidade de São Paulo, já foi realizada na Universidade Estadual de Campinas, no Instituto Federal do Ceará e na Oficina Cultural Oswald de Andrade e suas palestras foram apresentadas na Universidad Estadual Del Estado de Hidalgo (México) e no II Encontro Internacional de Dança Infinita de Cusco (Peru). Seu conteúdo advém da dissertação de mestrado de Thiago Abel “(Po)éticas do ctônico: primeiros movimentos do butô no Brasil” (UNICAMP) e das explorações realizadas pelo Núcleo Experimental de Butô, laboratório cênico residente em São Paulo desde 2014 que investiga as (po)éticas deste projeto político-artístico, pesquisando seus desdobramentos no Brasil – após mais de cinco décadas de sua fundação em Tóquio – e experienciando práticas que possibilitem o acesso a essa manifestação artística repleta de inquietações ainda não exploradas e que permanecem relevantes à sociedade atual.

 

--- Plano de Trabalho & Temas ---

Referencial Bibliográfico:
Envio das referências bibliográficas da oficina para leitura prévia.

1º Encontro
Palestra
- (Po)éticas do Ctônico: Primeiros Movimentos do Butô no Brasil

2º Encontro
Práticas da Dança Butô
- A poética da Morte na Dança Butô
- A poética do Zelo na Dança Butô
- Beshimi Kata (Os Olhos Revoltos)
- Reflexões Entre (Po)éticas e Estéticas do Butô

3º Encontro
Práticas da Dança Butô
- A poética do Útero e do Alimento na Dança Butô
- Os Marginais (Trans)Temporais
- O Saber Ctônico Presente no Butô

4º Encontro
Práticas da Dança Butô
- O Corpo Morto: o Corpo Reificado de Hijikata e o Corpo-Cosmo de Ôno
- Corpo Social Vs Corpo-Carne
- A Literatura Maldita na Dança Butô

5º Encontro
Práticas da Dança Butô
- Os Insetos de Ôno
- Hangi Daitō Kan (Espelho da Grande Dança Sacrificial) de Hijikata
- Suijakutai (A Coleção de Corpos Debilitados) e Hijikata

6º Encontro 
Performance “Marginais (Trans)temporais”
(não ocorre no espaço solicitado, mas em alguma área pública da cidade)

Zona Laboratorial

A Zona Laboratorial é uma possibilidade de vivenciar proposições relacionadas à dança butô em um processo contínuo e integral. Em um cenário onde se multiplica constantemente a quantidade de oficinas de curta duração que introduzem conceitos e saberes, mas que não oferecem tempo hábil para o desenvolvimento e incorporação desses, é primordial a existência de uma plataforma que possibilite a constância do exercício, ainda mais quando se trata desta manifestação artística que demanda anos de treinamento para a corporificação das inquietantes e árduas (po)éticas de Tatsumi Hijikata e Kazuo Ôno.

Dimensão Laboratorial: espaço existente entre vida e arte, entre técnica e pessoa. Um laboratório cênico-performático implica em primeiro lugar numa transmutação do próprio pesquisador, não tendo a obrigatoriedade de criar um produto a ser apresentado, o que não significa que não estará intimamente relacionado à criação. Espaço onde o artista pode usufruir dos treinamentos e experimentos tanto para potencializar a si mesmo, como – consequentemente – suas criações.

Para que compreenda-se de fato os objetivos de um laboratório é preciso pontuar alguns conceitos-chaves, 1º) TREINAMENTO: uma atividade permanentemente realizada pelo artista da cena, independentemente dos períodos dedicados aos ensaios de uma performance; 2º) CORPO: expressão física, conscientização somática, percepção e estudo das possibilidades corpóreas, ampliação de sua gama cinética para que o movimento não seja apenas aquele que o corpo está condicionado e limitado a fazer, mas aquele que brota da ampliação de suas possibilidades. Sendo este um laboratório de investigação do butô, adentra ao trabalho mais os seguintes pontos; 3º (DE)FORMAÇÃO: experimentos do Corpo-Morto, procedimentos de diluição dos corpos sociais objetivando acessar a dança da própria carne; 4º ZONA: possibilidade de investigação das próprias poéticas.

Por considerar tais tópicos, as atividades da Zona Laboratorial são divididas em três partes, 1º) TREINAMENTO PSICOFÍSICO: influenciado principalmente pelo trabalho de Min Tanaka, Rudolf Laban e Eugenio Barba; 2º) EXPERIMENTOS DE (DE)FORMAÇÃO: correlacionados com os trabalhos e matrizes (po)éticas de Kazuo Ôno e Tatsumi Hijikata, além do “Anhangá”, exercícios de metamorfose explorados e desenvolvidos pelo próprio Núcleo Experimental de Butô na busca de experimentar modos de acessar o principal procedimento de criação de Hijikata e Ôno: O Corpo Morto; 3º) ZONA DE INVESTIGAÇÃO: espaço de pesquisa e improvisação onde os artistas podem explorar suas próprias poéticas e investigar – se desejarem – suas criações.

Uma vez que a Zona Laboratorial foi pensada de modo dinâmico nas proposições dos exercícios, mas fixada em suas três frentes (Treinamento Psicofísico, Experimentos de (De)formação e Zona de Investigação), e que para frequentá-la é necessário conhecimento prévio das teorias e práticas do Núcleo, obtidos na oficina “Introdução às (po)éticas corpóreas de Tatsumi Hijikata e Kazuo Ôno”, qualquer artista pode adentrar o laboratório independentemente do momento, sem que isso afete seu acompanhamento e desenvolvimento.

Oficina: Butô, Terrorismo Poético & Arte Sabotagem: confluências entre Tatsumi Hijkata E Hakim Bey

A oficina propõe seis encontros teórico-práticos acerca dos processos de criação artística e concepções de corpo investigadas pelo fundador do Ankoku Butō, Tatsumi Hijikata, em confluência com a obra “CAOS: Terrorismo Poético e Outros Crimes Exemplares”, de Hakim Bey: pseudônimo de Peter Lamborn Wilson, historiador, escritor e poeta, pesquisador da organização social dos piratas do século XVII, cujos escritos causaram grande impacto no movimento anarquista das últimas décadas do século XX e início do século XXI.

Constituída por leitura prévia de referencial bibliográfico, diálogos, práticas em dança, práticas performáticas e happenings, a oficina propõe a união de Hijikata e Bey em busca de possibilidades de criação que partam a partir das seguintes questões:
 
- Quais são os limites e fronteiras do butô? 
- Por onde enveredar investigações após 59 anos de sua fundação em Tóquio? 
- Como trazer à tona suas inquietações políticas, (po)éticas e artísticas que permanecem pertinentes à sociedade atual? 
- Como enfim se libertar dos pastiches, decalques e clichês visuais que foram aglutinados nesta manifestação artística após suas peregrinações pelo mundo?

 

Deste modo, oficina tem o objetivo de investigar portas de acesso a práticas performáticas que potencializem nos corpos-de-carne os saberes presentes nos alicerces sócio-(po)éticos do Ankoku Butō, especificamente em seus primeiros anos com as “Dances Experiences”, organizadas por Tatsumi Hijikata. Também conhecida como “650 Experiences”, foi uma série de performances coletivas e happenings realizados pelas ruas de Tóquio que envolviam uma vasta gama de especialidades artísticas e tinham como preocupação principal a ruptura estética e a desconstrução dos conceitos habituais do sistema. Aquele fértil espaço de experimentação proporcionou o desenvolvimento de uma densa concepção de arte e de dança, entendendo-a como uma experiência corporal profunda não acessível somente através da observação e da interpretação, mas através da co-criação com o público e da ideia do não-representar, mas sim “presentificar” na carne forças e formas.

Durante seis encontros os participantes terão acesso a todas as informações necessárias a respeito da obra de Tatsumi Hijikata e Hakim Bey e por meio dos procedimentos de criação do Núcleo Experimental de Butô desenvolverão o que Bey denomina como terrorismo-poético ou arte-sabotagem. Além disso, será oferecido material consistente para maior conscientização do cenário sociopolítico e artístico desta manifestação artística, contextualizando o participante por meio da parte teórica acerca dos primeiros movimentos do butô no Brasil e de sua singularidade ao propor uma nova epistemologia de dança alicerçada não em matrizes visuais, mas em matrizes (po)éticas.

“Shiva diz: sem nome sou, sem forma e sem ação (...). Eu sou pulsar, movimento e ritmo...” (Shiva Gita)


--- Plano de Trabalho & Temas ---

Referencial Bibliográfico:
Envio das referências bibliográficas da oficina para leitura prévia.

1º Encontro
- Políticas e (po)éticas da dança butô
- “Dance Experience” de Tatsumi Hijikata
- Terrorismo Poético
- Arte-Sabotagem
- Mitos do Caos

2º Encontro
- Crime
- Pirotecnia
- Mitos de Eros

3º Encontro
- Crianças Selvagens
- Paganismo
- Feitiçaria

4º Encontro
- Amor Louco
- Erotismo
- Nudez

5º Encontro
- Desenvolvimento de terrorismos poéticos e arte-sabotagens
- Limites do butô

6º Encontro
- Desenvolvimento de terrorismos poéticos e arte-sabotagens
- Realização dos happenings: terrorismos-poéticos e arte-sabotagens

Histórico de Oficinas & Palestras
Palestra: Reflexões entre (po)éticas e estéticas na dança butô

Ao considerar o singular processo de criação da dança butô, movimento de vanguarda pós-guerra nascido no Japão ao fim da década de 1950, criado por Tatsumi Hijikata e tendo como principal colaborador Kazuo Ôno, Thiago Abel apresenta uma reflexão entre os conceitos "(Po)ética” e “Estética" e suas interrelações, objetivando chamar atenção para a existência de novas epistemologias de dança embasadas em matrizes éticas e poéticas, apartadas da instrumentalização estética e do engessamento das matrizes visuais.

Além disso, apresenta uma completa historiografia acerca das criações artísticas de Hijikata e Ôno, apresentando a fundação e desenvolvimento desta dança a partir do fim dos anos 1950, cotejando todo o contexto sócio-político-cultural a qual estavam sujeitos.

Histórico de Oficinas & Palestras

2018

 

20/10/2018

Palestra "Reflexões entre (po)éticas e estéticas na dança butô"

A convite da Taanteatro Companhia para a OCUPAÇÃO TAANTEATRO

São Paulo (SP) - Teatro de Arena

24/09/2018 - 28/09/2018

Oficina Intensiva "Introdução às (po)éticas corpóreas de Tatsumi Hijikata e Kazuo Ôno"

Belo Horizonte (MG) - Associação Casa do Estudante MOFUCE

13/08/2018 - 17/08/2018

Oficina Intensiva "Introdução às (po)éticas corpóreas de Tatsumi Hijikata e Kazuo Ôno"

Campinas (SP) - Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP

07/07/2018 - 04/08/2018

Oficina Extensiva "Introdução às (po)éticas corpóreas de Tatsumi Hijikata e Kazuo Ôno"

São Paulo (SP) - Parque da Água Branca

21/04/2018 - 09/06/2018

Oficina Extensiva "Butô, Terrorismo Poético & Arte-Sabotagem: confluências entre Tatsumi Hijikata e Hakim Bey"

São Paulo (SP) - Diversos espaços

09/04/2018 - 13/04/2018

Oficina Intensiva "Introdução às (po)éticas corpóreas de Tatsumi Hijikata e Kazuo Ôno"

Londrina (PR) - Usina Cultural

15/01/2018 - 19/01/2018

Oficina Intensiva "Dança (po)ética de Tatsumi Hijikata"

São Paulo (SP) - OC Oswald de Andrade

07/01/2018 - 10/01/2018

Oficina Intensiva "Introdução às (po)éticas corpóreas de Tatsumi Hijikata e Kazuo Ôno"

Fortaleza (CE) - IFCE - Instituto Federal do Ceará

2017

Em construção

16/03/2017 - 08/04/2017

Oficina Extensiva "Introdução às (po)éticas corpóreas de Tatsumi Hijikata e Kazuo Ôno"

São Paulo (SP) - Casarão Relíquia

2016

Em construção

2015

Em construção

2014

01/09/2014 - 15/12/2014

Primeiras orientações e treinamentos com alunos da graduação em dança da UNICAMP  

Campinas (SP) - UNICAMP

01/09/2014

Início da dissertação de mestrado de Thiago Abel

"(Po)éticas do ctônico: primeiros movimentos do butô no Brasil"

Campinas (SP) - UNICAMP

© 2019 por Thiago Abel

© 2018 por Thiago Abel e Caio Picarelli

© 2017 por Thiago Abel e Bruno Maschio